Renan Riggo

[ARTIGO] Seleção Uruguaia de Futebol

A Seleção Uruguaia de Futebol, conhecida popularmente pelo epíteto de Celeste Olímpica, além de ser o primeiro esquadrão a se sagrar campeão do mundo, em 1930, também é responsável por escancarar a força do futebol sul-americano à nível mundial, na primeira metade do século XX, através das conquistas das medalhas de ouro olímpicas de 1924 e 1928. Estas duas conquistas chancelaram à equipe uruguaia a alcunha citada acima.

Após o bicampeonato olímpico, nossos vizinhos conquistaram o caneco da primeira edição da Copa do Mundo da FIFA, disputada em seus domínios no ano de 1930, vencendo a Argentina na final por 4×2. A escolha da FIFA por realizar a competição em terras uruguaias se deve ao mérito da Celeste por ter conquistado os dois campeonatos olímpicos realizados nos anos anteriores.

Créditos:https://www.imortaisdofutebol.com/2012/03/17/selecoes-imortais-uruguai-1920-1930/

O Uruguai voltaria ao topo do futebol mundial em 1950, na primeira Copa do Mundo realizada após a Segunda Guerra Mundial, em solo brasileiro. A Celeste chegou à final contra os donos da casa, time muito mais badalado na ocasião e que precisava apenas de um empate para ser campeão do mundo, no Maracanã, diante de 200 mil espectadores.

Créditos: https://www.imortaisdofutebol.com/2012/10/02/selecoes-imortais-uruguai-1950/

Entretanto, a tradicional Celeste Olímpica foi responsável por um dos maiores anticlímax da história das Copas do Mundo. Após sair perdendo para o Brasil por 1×0, gol anotado por Friaça, os uruguaios buscaram o empate com Schiaffino e a virada com Ghiggia, calando a multidão brasileira e coroando-se bicampeã do mundo de futebol. Como bem sabemos, este episódio é referenciado como o “Maracanaço”.

Créditos: http://fanworld.co/pt/20-cute-facts-about-luis-suarez/

A força e raça do futebol uruguaio estão refletidas nos números de conquistas que ostenta a seleção nacional. Ao todo, são 2 títulos mundiais, 15 títulos da Copa América, 2 ouros olímpicos, além de 2 ouros e um bronze pan-americanos. Contando com toda essa história e com o faro de gol do centroavante do Barcelona, Luis Suárez, certamente a Celeste não será uma mera coadjuvante no mundial da Rússia de 2018.

Outros posts deste autor
[ARTIGO] Seleção Alemã de Futebol
[ARTIGO] Seleção Italiana de Futebol
Final da UEFA Champions League
Ayrton Senna da Silva
Ayrton Senna da Silva (da Fórmula 1, do Brasil, do Mundo)
Nesta semana está difícil falar sobre futebol
Nesta Semana Está Difícil Falar Sobre Futebol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JCblogs Produzido por Gabriel Ferrari Mariano